Análise: AURORA – Felipe Folgosi

“Em pleno alto mar, o pescador Rafael presencial um fenômeno que mudará sua história e de toda humanidade.”

Aurora é um dos quadrinhos que comprei na última Comic Con Experience, em 2015. No meio do Artists’ Alley ele chama sua atenção pela capa bem elaborada e pela premissa interessante: um pescador simples que pode mudar o destino da humanidade através de fenômenos maiores que nós.

Felipe Folgosi tem uma boa carta nas mãos e ele mesmo reconhece isso quando reconta a trajetória da história antes de se transformar no quadrinho publicado e lançado pelo Instituto dos Quadrinhos. Tudo começou com um jogo de pintinhas que, espalhadas pelo corpo, lembravam constelações. Dez anos depois ele concluiu a estória de Rafael, um simples pescador com uma família pequena que é surpreendido por uma tempestade cósmica.

Aquele dia transforma a vida de Rafael e o aproxima de elementos universais maiores que a evolução humana até então, o colocando em uma perseguição entre cientistas e médicos. Não há como descrever mais a narrativa de Aurora sem entregar seus melhores pontos, mas o importante aqui é entender que os personagens são os maiores trufos do autor, que se perde em clichês do estilo, mas consegue conectar os leitores justamente pela humanidade que passa em sua escrita.

Apesar da premissa ser muito interessante – quem não gosta de falar das estrelas que espelhamos em nós mesmos? -, a história deixa uma sensação de que poderia ser melhor explorada, o que talvez seja culpa do formato em que foi feita. Talvez um filme ou uma plataforma diferente conseguiria expandir os detalhes que faltaram. O sentimento que fica é que poderíamos ler mais sobre aquilo. Ou, que poderíamos ler melhor.

Em compensação, a criação dos seus personagens se encaixa exatamente da maneira que deveria ser. Apesar de um pouco previsíveis em seus papéis (a esposa, o médico, o amigo do médico, etc), a forma como ele os identifica e constrói enriquece a história e é isso que você vai se lembrar no final de tudo.

Afinal, fazer alguém se importar pelas pessoas que você criou é a parte mais difícil disso tudo, e Felipe parece ter conseguido. Os traços são simples, a história precisa de um refinamento, mas Aurora se torna um quadrinho gostoso de ler. Em menos de uma hora você o termina e pode guardar a referência para suas próprias ideias saírem do papel.

***

Editora: Instituto HQ – Edição especial

Autores: Felipe Folgosi (roteiro), Klebs Junior (adaptação e layout), Leno Carvalho (desenhos), Nelson Pereira (arte-final), Stefani Rennee, Márcio Manyz, Thiago Ribeiro, Rodrigo Fernandes, Carlos Lopez e Marcio Freire (cores).

Onde encontrar: FNAC, Livraria Cultura, Amazon

Número de páginas: 104

Data de lançamento: Outubro de 2015

Gostou da análise? Deixe sua opinião, comente e faça suas sugestões aqui ou em qualquer uma das redes sociais da Garagem. Vamos conversar! 🙂
Share on Facebook5Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on Tumblr0