O potencial literário das fanfics de Wattpad

Ler para você é tão bom quanto esperar seu dentista arrumar o aparelho quebrado antes do carnaval. Você simplesmente não se interessa, nunca pegou em um livro, até que um dia um romance de capa fabricada chama sua atenção, e então toda sua madrugada passa tão rápido que seus dedos doem de segurar o livro para ele não cair na sua cara.

A leitura é algo individual. Só seu, com um gosto egoísta e sofisticado por suas próprias referências. É claro que bons autores vendem e publicam mais, ainda sim, existem histórias por todos os cantos capazes de te fazer perder o horário do trabalho. Se não houvesse, o potencial literário do Wattpad poderia ser melhor ignorado.

São mais de 45 milhões de pessoas que usam a startup canadense, criada em 2006 por Allen Lau e Ivan Yuen. Hoje, está disponível em 50 idiomas e contabiliza mais de 175 milhões de histórias, sendo 5,3 milhões em português. A plataforma é um meio de autopublicação que conecta leitores engajados com autores que precisam testar sua escrita (ou divulgar), antes de chegar no mercado de leões.

Mas eles não vivem entre hienas. Na verdade, o próprio Wattpad se encarrega de premiar as melhores histórias, dando um ar mais sofisticado ao meio. São capas bem feitas, prólogos e resumos de qualidade, todos prontos para serem descobertos e ganharem as telas ao lado de 40 Tons de Cinza – originalmente escrito como uma fanfic de Crepúsculo.

O prêmio Wattys é a referência de qualidade interna, com mais de 75.000 inscrições em 2015. Em 2016, a premiação abriu espaço para categorias como Voto Popular e Fanfics, além da Narrativa Visual. Essa última é uma prova do poder das histórias em plataformas online, funcionando quase como uma nova versão transmídia para contar romances. Pode parecer pequeno, mas há de se prestar atenção na autora desconhecida que faz uma playlist e upa com imagens e trailer em sua rede social com 30 mil seguidores.

wattpad-garagem-de-luxoTodo um mercado novo está surgindo da capacidade de contar a mesma história, de diferentes maneiras, com novas ferramentas, em um só lugar. A expansão da criatividade ganha portas no Wattpad.

O site/plataforma/kindle-barato pode ser acessado em mobile, com um app bem resolvido, ou de desktop. Ali, você ganha uma forma de guardar histórias em bibliotecas e listas pessoais, privadas ou não. Digamos, você pode ter um perfil com ótimos autores de narrativas brasileiras multiculturais, enquanto em uma listinha privada e singela, existem milhares de fanfic sobre Larry. Ou Robsten. Ou qualquer shipp desses que nunca dão certo.

Dentre as publicações que aparecem na página principal do Wattpad, existe uma categoria inteira voltada para fanfics. Se você clicar em Ficção Adolescente, toda a prateleira de livros bem vendidos da livraria vai estar estampada ali. São diferentes imagens e personagens, mas o potencial é o mesmo.  “Meu Mundo, seu mundo”, de Gabi Belieber, é o primeiro a aparecer, com 2,1 milhões de visualizações e mais 160 mil votos. Em uma comparação bruta e um pouco injusta, “Como eu era antes de você”, de Jojo Moyes, o livro impresso mais vendido do gênero (fonte), tem 354.330 cópias nas mãos de adolescentes do país.

A questão não é a disputa, é a forma como esses mercados podem se complementar. Editoras estão de olho em potenciais autores com público já definido. O lugar, agora, talvez seja em base de fãs maiores que a literatura em si – a capacidade de criar algo novo em cima do real. Em nível nacional, dezenas de autores de fanfic Camren tem esse potencial.

camren-garagem-de-luxo
Imagens que aparecem no topo da página se você usar a tag #camren. São milhares de opções com milhares de visualizações. The Broken Road fala sobre depressão, perda e desafios.

Se a barreira da leitura digital vem sendo quebrada todos os dias com os e-books, o Wattpad pode transformar literatura em algo ainda mais acessível. Jovens leem, as editoras só precisam descobrir onde. Ainda, o Kindle poderia encontrar uma forma de fazer a portabilidade do conteúdo do Watt para si – melhor do que ele faz com o Getpocket, pelo menos. Duas plataformas que existem para trabalhar juntas e, quem sabe, desenvolver meios de retribuir os autores com valores ao nível de sua imaginação.

Você pode procurar histórias como Águas de Março, Time After Time, Xeque-Mate,  (1.6M!), Once in a Blue Moon ou Identidade, para entender o potencial que essas autoras tem de engajar e conversar com seu público através de personagens únicos. São narrativas sobre traição, samba, sexualidade e descobertas pessoais. E, claro, putaria.
wattpad-garagem1
Águas de Março entra nos TT em cada atualização – sempre aparecem pessoas achando que é sobre a música também. É algo que acontece fácil com outras fanfics do gênero.
wattpad-garagem2
A fic é conhecida pelo potencial de quebrar preconceitos sobre assuntos nacionais.
wattpad-garagem3
É comum encontrar histórias que tratam sobre assuntos delicados e que não são debatidos em outros lugares, como Identidade faz.

Pessoas gostam de histórias. É simples assim, sempre foi. Seja no entretenimento da TV, seja em livros. É claro que uma seleção sensata é necessária – o Wattpad também tem materiais tão ruins que te fazem bater a cabeça para esquecer o que leu -, mas isso é o mesmo que conseguir encontrar um podcast de qualidade no meio de uma soma de áudios de auto ajuda. Ali, você vai ler de Sandman até Youtubers. Mas essa é a questão: você escolhe.

Hoje, a informação está disponível para todos, feita por todos. Você tem liberdade de escolher o que é bom, no seu egoísta e culposo coração, e as editoras tem o dever de encontrar o que vários desses corações estão falando.

A maior força do Wattpad é justamente o amadorismo, que tanto cria espaço para estórias medíocres quanto para autores desconhecidos testarem suas ideias de forma anônima, seja com uma fanfic ou com uma forma de visualização prévia (veja o perfil do autor Enrique Coimbra). O poder da plataforma é tão grande que existem grupos de revisão (de graça), fóruns para ajuda em termos de escrita e estética (de graça), reunião de contos de ficção ou romance (de graça) e divulgação (de graça). DE GRAÇA!

E mais: existe histórias tão puras sobre intersexualidade, adoção, transexualidade, depressão e problemas profundos da identidade humana que não encontramos em outros lugares. O Wattpad supre, de maneira inconsciente talvez, uma carência nas prateleiras físicas. O maior exemplo é a comunidade LGBTT, que encontra em histórias “amadoras” representações reais de personagens que eles gostariam de ver em outros lugares. Pelo menos, de maneira mais diversa e escancarada.

Aquela velha fome que a gente batizou de representatividade.

Ignorem os nomes. Ignorem os apelidos de bandas americanas. Ignorem o uso excessivo de advérbios e até mesmo a forma incorreta na construção das orações. Ignore o amadorismo de quem apenas quer contar uma história de verdade para pessoas que estão dispostas a ler, comentar e se engajar. Ignore cada um desses pontos, mas não subestime mais o potencial criativo que o Wattpad fornece ao mercado literário brasileiro.

Share on Facebook12Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on Tumblr0