dailyplanet #006: como começar a ser alguém

Olá fãs do RBD,

Uma coisa que ninguém nunca te fala direito é sobre essa síndrome dos 20 anos. Tu tá lá, bonito na festa, bebendo com os amigos no barzinho em frente a faculdade, até que de repente não tá mais. Aquilo para de fazer sentido e tu começa a cair em um pequeno buraco de vozes que cantam: e a tua vida, vai ser o que?

O que tu quer fazer? Onde tu quer trabalhar? Que tipo de pessoa tu quer se tornar?

Tudo bem, não é tão drástico assim – e essa crise pode se encaixar em diferentes estágios da vida – mas, principalmente, nos período pós-faculdade. Todo o tempo livre que tu ganha é usado para 1) aproveitar a vida e 2) pensar no futuro. Mas que diabos.

Não é algo ruim, só é confuso. Meio que como esse texto aqui. Além disso, cada um tem uma vida diferente, com necessidades diferentes; alguns viajam, outros trabalham, outros fazem estágio e tralálá. O mais difícil do caminho é se descobrir como pessoa, recebendo diversas influências, e ainda se manter fiel à si mesmo.

Mas a confusão é saudável, eu acredito… Pelo menos, é um sinal que tu é curioso pelo mundo e quer fazer mil coisas – além de maratonar Netflix, pois somos todos filhos dignos de uma sérizinha aqui e acolá, não é mesmo.

______

Dentro desse mesmo fluxo de pensamento, esses vídeos abaixo resumem alguma coisa:

1. Na real esse primeiro é mais pela diversão mesmo, vai lá.

2. Esse é pela história do Jovem Nerd e Azaghal, pra deixar guardado. Os caras são um dos principais representantes do conteúdo de entretenimento nerd (ou não) do Brasil, e fizeram esse caminho na unha. Massa.

3. A JoutJout é a “youtuber” do momento – assim como a Kéfera foi há uns 5 meses. Eu sempre vi o canal dela como uma mistura brasileira de Girls com Rolê Gourmet, do PC e do Tavião – que também é outro canal daorinha. Atualmente ela tem feito a cobertura de eventos bacanas, como para Netflix com OITNB. Vale acompanhar – esse vídeo é de uma entrevista, clica nele e procura lá o canal.

Não vou falar mais nada porque tô tentando terminar esse texto sem ficar com a música do Renato Russo na cabeça. Essa mesmo.

 

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on Tumblr0