Análise: BIDU: CAMINHOS – Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho

Antes de tudo, você precisa entender que o projeto Graphic MSP foi feito para quem cresceu com os personagens de Maurício de Souza. Não que uma nova geração de leitores que nunca colocaram seus pés no Bairro do Limoeiro não possa se interessar pelo material – pelo contrário, já que ele bate de frente com outras publicações do gênero -, mas o sentimento de voltar para casa é maior se você costumava guardar três “revistinhas” da Mônica na mochila escondido antes de ir para a escola.

É como um presente de amigo. Essa edição de Bidu, então, com certeza foi um dos que são embrulhados e entregues só no Natal.

bidu-msp-garagem

A história é sobre o cãozinho azul de Franjinha, antes dele ser realmente o mascote da turma e companheiro do garoto inventor. Acompanhamos seus caminhos cheios de onomatopeias pelo quarteirão do Limoeiro, encontrando alguns amigos caninos e se virando como um vira-lata adolescente.

A edição começa com uma dedicatória de Maurício elogiando o trabalhos dos autores, Eduardo Damasceno  e Luís Felipe Garrocho. É nesse ponto que você já se encanta pela história, pois sente no criador do personagem palavras que soam mais como um abraço, o que segue por todas as páginas. Bidu com certeza tem um valor pessoal ao mestre, sendo sua primeira criação publicada e até hoje um dos mais queridos pelo público.

bidu-msp-garagem-2Os autores, Luís Felipe Garrocho e Eduardo Damasceno já estão há algum tempo dentro do circuito de quadrinhos, sendo ambos já reconhecidos pelo Troféu HQ Mix, individualmente. Juntos, produzem webcomics com letras de músicas no Quadrinhos Rasos. A participação no Graphic MSP não só é um reconhecimento do trabalho da dupla, mas também uma oportunidade de vermos seus traços bem elaborados em um ícone do quadrinho nacional.

O sentimento nostálgico nos circula com as cores bem selecionadas, e cada página vira uma espécie de tributo carinhoso não apenas pelo protagonista, mas pelas próprias emoções que estão expressas ali. Assim como as outras edições do gênero, acompanhamos um recorte entorpecente da vida dos personagens que estão há anos conosco. Bidu, em especial, foi o primeiro a ser criado e publicado em 1959. Seu nome remete à um sabichão, o que é exatamente a personalidade que os autores colocam na revista.

bidu-msp-garagem3Somos envoltos pelos sentimentos do cachorro azul, suas inseguranças e desejos. É tudo simples, mas a história se desenvolve com soluções visuais inéditas, seja na forma que os animais se “comunicam” ou como as onomatopeias saem da programação binária e ganham vida, feitas a mão pelos por Luís e Eduardo, intercalando-se com os quadros.

Ao final, você vê parte do processo criativo, com primeiros rascunhos e base de cores, o que faz possível sentir a dedicação por trás da boa narrativa, dando um sentimento gostoso de orgulho em ver alguém tratar Bidu como o personagem que ele é: um melhor amigo de respeito.

***

Editora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho (roteiro e desenhos).

Preço: R$ 19,90 (capa cartonada) e R$ 29,90 (capa dura)

Número de páginas: 80

Data de lançamento: Agosto de 2014

Mais informações sobre quadrinhos? Confira o Universo HQ, o pessoal é mestre. Se gostou da análise, comente e compartilhe com seus amigos! Vamos conversar e celebrar os talentos nacionais. 🙂
Share on Facebook2Tweet about this on TwitterShare on Google+0Share on Tumblr0